top of page
  • Foto do escritorPet Land

3 doenças genéticas comuns nos cães

O DNA desempenha um papel importante no que diz respeito às doenças dos cães, uma vez que ele interfere em tudo, desde características físicas até à predisposição para desenvolver determinadas doenças ao longo da vida.

As doenças genéticas estão essencialmente relacionadas com cães de raça pura, sendo que, os cães derivados de cruzamentos entre raças são mais resistentes a essas doenças.


Com a evolução da espécie canina, inúmeras alterações têm sido feitas, originando as diferentes raças actualmente existentes que derivam da selecção artifical.

No entanto, quanto mais se seleciona artificialmente esta espécie, maiores são os efeitos adversos e maior a probabilidade de ocorrerem doenças genéticas.


Neste artigo damos a conhecer 3 doenças genéticas comuns em cães


1 - Displasia da anca


A displasia da anca é uma doença genética progressiva frequentemente diagnosticada em cães de raça grande entre os 6 e 12 meses, como Pastor Alemão, Labrador, São Bernardo, entre outras, sendo este diagnóstico precoce inicial importante para o implementação de um plano terapêutico.


O crescimento rápido em raças de grande porte origina o ganho de massa muscular que supera o crescimento da estrutura esquelética. Este desequilíbrio altera a distribuição do peso na articulação da anca e altera a formação do osso ao redor da articulação.


Alguns dos sinais que indicam a existência desta doença são: intolerância ao exercício físico, comer sentado ou deitado, dificuldade em levantar ou deitar/sentar e também subir escadas, caminhar diferente ou até mesmo coxear e dor aparente, embora que nem todos os cães a sintam.


Se conseguir identificar a displasia da anca precocemente, existem cirurgias que podem restaurar o ângulo normal do quadril e atenuar os efeitos da displasia. Infelizmente, a maioria dos casos em cães são diagnosticados tarde demais para este tipo de cirurgia (que por sua vez, é dispendiosa), o que torna o tratamento médico ou cirurgias as únicas opções disponíveis.


Adicionalmente, o controlo do peso é muito importante para animais com esta doença genética, uma vez que, quanto mais peso corporal, maior a sobrecarga na anca, agravando mais a doença, por isso deve optar por rações light para cães e fornecer a quantidade de comida diária recomendada pelo fabricante.


2 - Braquicefalia em cães


Esta doença genética é uma malformação respiratória observada em cães com cabeças arredondadas e focinhos achatados, como Bulldog Inglês, Bulldog Francês, Pugs, Boston Terriers e raças semelhantes a estas.


O tamanho e a forma dos crânios destas raças têm vindo a ser modificados ao longo de anos de reprodução e seleção artificial, no entanto, para além da alteração morfológica, também ocorreram alterações significativas no sistema respiratório.


Os animais afetados têm traqueias deformadas, narinas em forma de fenda e outros defeitos que prejudicam significativamente a sua capacidade de respirar ao ponto de que mesmo os exercícios leves num dia quente podem ser fatais para estas raças.

Em momentos de stress ou esforço físico, a traqueia pode entrar em colapso devido às inalações em pânico. Os cães cronicamente afetados geralmente apresentam um ''roncar'' característico ao respirar, que pode provocar dificuldades respiratórias por si só.


A opção cirúrgica poderá ser uma forma possível de controlo mas as traqueias em colapso raramente são corrigíveis. Muitos cães podem precisar de cirurgia numa idade muito jovem simplesmente para garantir uma respiração adequada, abrindo as narinas e aparando o palato para ajudar a respirar mais facilmente.


Cães de raça com predisposição a esta doença, devem ser ser examinados desde cedo e os seus donos devem garantir que esses animais não fiquem expostos a temperaturas extremas ou exercícios excessivos.


3 - Cardiomiopatia dilatada


Esta doença caracteriza-se pela fraqueza do músculo cardíaco na contração e que pode ser fatal, surgindo principalmente em cães de raça grande, entre os 4 e 10 anos de idade, como o Doberman, Dálmata, São Bernardo, Boxer, ...

Devido à falta de força do miocárdio e para compensar, as câmaras cardíacas vão aumentando de tamanho ao longo do tempo.


Os sintomas associados são: cansaço, tosse (principalmente à noite), fraqueza e, alteração na frequência cardíaca e respiratória (quando realizado exame médico).


A terapia actualmente existente tem como objectivo o suporte ao funcionamento do coração e o atraso do desenvolvimento da doença. Adicionalmente, deve tomar especial atenção e cuidado à duração dos passeios, optando por reduzir a duração dos mesmos, bem como a momentos de stress e excitação, que devem ser evitados.


Um diagnóstico precoce pode prolongar bastante a esperança média de vida de um cão com esta doença.


--


Estas são apenas algumas das muitas doenças genéticas comuns dos cães – a lista é interminável e o número de raças é impressionante.


As doenças genéticas são menos comuns em cães de raça cruzada, por isso, considere aquele cão ''rafeirinho'' mais velho que está para adopção numa associação ou canil - eles podem oferecer tanto amor quanto um cão de raça pura e podem ser menos propensos a desenvolver problemas de saúde.

43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Bình luận

Đã xếp hạng 0/5 sao.
Chưa có xếp hạng

Thêm điểm xếp hạng
bottom of page