top of page

Carraças

Atualizado: 14 de fev. de 2022

A carraça é o parasita que transmite o maior número de doenças, não só pelos efeitos directos, como a paralisia da carraça, como também pelos agentes patogénicos que transmitem.


Desde que sai do ovo, a carraça precisa de sangue para se alimentar, tendo como hospedeiros espécies de aves, répteis, anfíbios e mamíferos, incluindo o Homem.


As carraças, para poderem viver do sangue dos seus hospedeiros ancoram-se fortemente a estes, momento em que se produz o contágio.


O seu ciclo de vida, é passado sobre um, dois ou três hospedeiros e só as fêmeas depositam ovos. Este ovos são depositados no meu ambiente e, quando eclodem, dão origem a uma larva que, posteriormente, começará um novo ciclo num novo hospedeiro.


Para ter a noção de rapidez de reprodução, uma fêmea pode produzir 3000 a 4000 ovos ao longo da sua vida.



Doenças provocadas pelas carraças


A carraça precisa de uma grande quantidade de sangue para se alimentar e desenvolver até atingir a maturidade, durante o seu desenvolvimento pode crescer até 4 vezes o seu tamanho inicial e, por isso, em casos de grandes infestações, a carraça pode provocar anemia ao animal.


A expressão “Febre da Carraça” é utilizada para designar o conjunto de doenças parasitárias transmitidas pela picada da carraça, especialmente: Erliquiose (causada por Ehrlichia spp) e Babesiose (causada por Babesia spp).


Babesiose é uma doença que destrói os glóbulos vermelhos e provoca uma anemia grave que pode terminar em morte, mesmo com tratamento, pode originar sequelas renais.


Ehrlichiose provoca hemorragias severas, emagrecimento extremo, anemia e também complicações neurológicas ou cegueira.


Borreliose ou doença de Lyme, provocada pela bactéria que se estende por todo o corpo e afecta articulações, podendo traduzir-se em claudicação crónica.



Prevenção


As carraças pode ser encontradas durante todo o ano, no entanto, nalguns países, como é o caso de Portugal, há maior prevalência na Primavera e no Verão.

O tratamento de prevenção deve ser feito durante todo o ano, através de desparasitantes internos com efeito acaricida (que matam as carraças) e também com desparasitantes externos, como pipetas e coleiras com efeito repelente, que evitam que estes parasitas se fixem nos animais.


Remoção de carraças


As carraças devem ser removidas com produto adequado, uma vez que, se optar por arrancar a carraça, poderá correr o risco de deixar o seu aparelho bocal na pele do animal e provocar infecções graves.

Existem produtos como o Beaphar Fiprotec Spay Cães e Gatos, indicado para tratar e prevenir novas infestações.



Carraças em cães



24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page