top of page

Coprofagia: causas e o que fazer para que o cão pare de ingerir as próprias fezes

Não é só um hábito, ainda que pouco apetitoso. Além de tornar as lambidelas dos nossos amigos de quatro patas menos agradáveis, a coprofagia, isto é, o acto de comer as fezes, também pode ser sintoma de algum problema de saúde. Isto sem contar que, ao ingerir fezes de animais contaminados, o seu animal de estimação ainda pode apanhar doenças.


Por isso, se o seu cachorro come as próprias fezes, não deixe passar! O melhor a fazer é investigar o que é a coprofagia e os motivos que o levam a fazer isso para, assim, encontrar uma solução para o problema. Agora, vamos explicar melhor o que é a coprofagia, um assunto tão importante.


Porque é que o meu cachorro come as próprias fezes?


Não existe uma única causa para a coprofagia. De acordo com os médicos-veterinários, este hábito pode ter origem tanto em factores fisiológicos quanto comportamentais.


Causas fisiológicas


Os motivos mais comuns que se apresentam como causas fisiológicas, dizem respeito à nutrição. Como por exemplo, cães com dietas inadequadas podem recorrer à coprofagia como forma de conseguirem mais nutrientes. Da mesma maneira, cachorros com polifagia (apetite excessivo anormal) ou que estão a fazer alguma dieta restritiva para perda de peso também podem apresentar este comportamento.

Noutros casos, quando um cachorro come fezes, pode ser sinal de um problema de má- absorção, como, por exemplo, insuficiência hepática ou doenças intestinais. Nessas situações, o seu cão pode tentar encontrar nutrientes adicionais e suplementos através da coprofagia. Por isso, é importante perceber porque é que ele tem este comportamento.


Causas comportamentais


Do ponto de vista comportamental, as causas são igualmente variadas. No entanto, segundo alguns médicos-veterinários, uma das causas mais comuns é fazer isso para chamar a atenção do dono. Isso mesmo! A atenção dada imediatamente após a ingestão das fezes, mesmo que negativa, pode estimular o comportamento.

Aliás, a “atenção negativa” pode estar por trás da coprofagia também de outra maneira. Donos que utilizam técnicas de reforço negativo, como esfregar o focinho do cão nas fezes e gritar com eles, fazem com que seja associado a punição ao acto de defecar. Assim, o seu cão pode passar a ingerir as fezes com o propósito de escondê-las.

Sabemos que não é normal o cachorro comer fezes, contudo, existe, uma causa muito chocante para essa actividade peculiar. Alguns cães comem fezes porque gostam do cheiro, da textura e do sabor. Estranho não é!?


Coprofagia: será que está relacionado com a raça?


Ainda não há pesquisas concretas e que tenham chegado a uma conclusão a respeito do assunto. Mas, um estudo publicado no “Veterinary Medicine and Science”, realizado pelos investigadores Benjamin e Lynette Hart, da Universidade da Califórnia, avaliou que os Hounds e Terriers seriam os mais propensos a comer as próprias fezes. Já os poodles são considerados os menos prováveis ter esse comportamento.


Como fazer o cão parar de comer fezes?


Identificar a causa da coprofagia é o primeiro passo para começar a tratá-la. Não só porque o procedimento adequado está directamente ligado à causa, mas também porque, como dito anteriormente, o hábito pode ser um sintoma de doenças mais graves, de modo que o tratamento é essencial para garantir a saúde do seu cão.


Deixamos aqui algumas recomendações de médicos-veterinários de como tratar e prevenir a coprofagia:

  • Forneça somente rações equilibradas e de qualidade, como por exemplo Nuthya Grain Free ou Danna Supreme;

  • Para quem prefere a alimentação caseira, procure um nutricionista veterinário para que ele possa indicar os alimentos e quantidades mais adequadas de acordo com as necessidades específicas do seu cão;

  • Se possível, recolha as fezes imediatamente após a defecação;

  • Não utilize o reforço negativo para ensinar o cão onde fazer as suas necessidades. Em vez disso, recompense-o com petiscos, brinquedos e carinho sempre que ele as fizer no sítio certo;

  • Lembre-se que os ''ralhetes'', muitas vezes, servem apenas como forma de dar atenção ao cachorro e não como uma forma educativa;

  • Tente não recolher as fezes à frente do cão. Em alguns casos, isso pode levá-lo a querer “remover” as próprias fezes na sua ausência, e por isso, comê-las;

  • Hoje em dia, já existem produtos capazes de dar cheiro e sabor desagradável às fezes, desencorajando o cão a ingeri-las, como o Forbid que pade encontrá-lo disponível para venda aqui.

Antes de qualquer medida, consulte sempre o seu médico-veterinário de forma a descartar a possibilidade de doenças e para o orientar a respeito de uma alimentação equilibrada!



19 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page