top of page
  • Foto do escritorPet Land

Doenças em cães: Cardiomiopatia hipertrófica

Cardiomiopatia hipertrófica em cães, é uma condição cardíaca que afecta tanto os humanos como os animais, incluindo os cães.



No artigo sobre a Cardiomiopatia dilata em cães, já tínhamos abordado o tema das várias cardiopatias que podem afectar esta espécie. As cardiopatias em cães, podem ser primárias (de etiologia desconhecida), ou secundárias a outro processo.


As cardiopatias que podem surgir em cães são:

  • Dilatada;

  • Hipertrófica;

  • Restritiva;

  • Arritmogénica do ventrículo direito.

O que é a Cardiomiopatia hipertrófica em cães?


A Cardiomiopatia hipertrófica (CMH) é caracterizada pelo espessamento anormal do músculo cardíaco, especialmente do ventrículo esquerdo do coração. Este espessamento pode levar a uma série de complicações, incluindo a dificuldade para bombear o sangue de forma eficiente.

A CMH pode ser causada por vários factores como genética, idade, doenças subjacentes, hipertensão arterial, doenças metabólicas, inflamação cardíaca ou deficiências nutricionais.



Quais os sintomas da doença?


Os sintomas da CMH em cães podem incluir:

  • Dificuldade respiratória: respiração rápida ou ofegante, especialmente durante a actividade física.

  • Tosse: pode ocorrer uma tosse persistente, muitas vezes associada à acumulação de fluido nos pulmões;

  • Letargia: o cão pode parecer cansado ou relutante ao envolver-se em actividades físicas.

  • Fraqueza: os cães com CMH podem apresentar fraqueza geral;

  • Perda de peso: em alguns casos também ocorre perda de peso.



Como detectar a cardiomiopatia hipertrófica em cães?


O diagnóstico da cardiomiopatia hipertrófica em cães geralmente envolve exames físicos, radiografias, ecocardiografia e, em alguns casos, exames de sangue. O tratamento visa controlar os sintomas e pode incluir medicamentos para ajudar na função cardíaca e ajudar a monitorizar a pressão arterial. Se notar um dos sinais acima descritos, deverá consultar o seu médico veterinário para despiste da doença.



Raças afectadas


Embora a doença não esteja fortemente associada a raças específicas, aparentemente algumas que são ocasionalmente mencionadas em estudos, incluem: Pinscher e Cocker Spaniel. No entanto, esta condição cardíaca pode ocorrer em qualquer raça. Além disso, factores genéticos, ambientais e nutricionais também influenciam o aparecimento desta doença em qualquer raça.



Importância do diagnóstico precoce


É importante notar que, como em muitas condições cardíacas, a CMH pode ser progressiva e requer monitorização constante por parte de um veterinário. Se suspeitar que o seu cão está com sinais de doença cardíaca, é crucial procurar atendimento veterinário imediatamente para obter um diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado.

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page