top of page

Doenças em cães: Cardiomiopatia restritiva

A cardiomiopatia restritiva é uma doença que afecta os músculos do coração, tornando-os rígidos e menos elásticos. A detecção precoce da cardiomiopatia restritiva em cães é de extrema importância, pois ajuda a evitar complicações sérias, como insuficiência cardíaca congestiva e formação de coágulos sanguíneos. Neste artigo falamos dos detalhes sobre esta doença.



As cardiopatias em cães, podem ser primárias (de etiologia desconhecida), ou secundárias a outro processo.


Existem várias cardiopatias em cães, entre elas, estão:


A cardiomiopatia restritiva, pode afectar cães que têm uma predisposição genética superior para certas formas de cardiomiopatias, enquanto que em outros casos, a condição pode ser adquirida devido a factores como infecções cardíacas, inflamações ou outras doenças.



O que é a cardiomiopatia restritiva?


A cardiomiopatia restritiva é uma condição cardíaca em que os músculos do coração tornam-se rígidos e menos elásticos, o que dificulta o enchimento adequado das câmaras cardíacas. Isso pode levar a uma redução na capacidade do coração de bombear eficientemente o sangue para o corpo.



Quais os sintomas da cardiomiopatia restritiva em cães?


Os sintomas desta doença podem incluir:

  • Dificuldade Respiratória: Isso pode manifestar-se como respiração rápida, ofegante ou dificuldade em respirar, especialmente após actividades físicas.

  • Fadiga: Os cães com cardiomiopatia restritiva podem parecer cansados ou relutantes em se exercitarem. Eles podem ficar facilmente cansados.

  • Tosse: Tosse crônica, especialmente durante a noite ou após o exercício, pode ser um sintoma de insuficiência cardíaca.

  • Ascite: Acumulação de fluído no abdômen, resultando em inchaço abdominal. Isso pode causar desconforto e dificuldade em respirar.

  • Intolerância ao Exercício: Os cães afectados podem mostrar uma diminuição na resistência ao exercício ou podem evitar actividades físicas.

  • Perda de Peso: Alguns cães podem perder peso inexplicavelmente, mesmo que continuem a comer normalmente.

  • Fraqueza: Pode haver sinais de fraqueza geral, apatia ou letargia.

  • Desmaios ou Colapsos: Em casos graves, alguns cães podem apresentar episódios de desmaios ou colapsos devido à insuficiência cardíaca.



Raças afectadas

A prevalência da cardiomiopatia restritiva em cães pode variar, e a incidência da doença depende de vários factores, incluindo a raça do cão, predisposição genética e outros factores ambientais. Alguns cães têm uma predisposição genética para certas formas de cardiomiopatia, enquanto que noutros casos, a condição pode ser adquirida devido a factores como infecções cardíacas, inflamações ou outras doenças.

Certas raças de cães são conhecidas por terem uma maior predisposição a desenvolver cardiomiopatia restritiva. Por exemplo, em algumas raças de cães de grande porte, como o Boxer e o Doberman, a cardiomiopatia restritiva é observada de forma mais comum. Entretanto, a condição pode ocorrer em cães de qualquer raça ou tamanho.



Se notar que o seu cão tem um ou mais dos sintomas acima apresentados, não hesite em consultar o seu médico veterinário. A detecção precoce da doença é de extrema importância para proporcionar qualidade de vida.

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page